Archive for novembro \17\UTC 2014

Natal violento

17/11/2014

Justamente na época do ano em que os pinguins ganham bastante notoriedade no Brasil (e só no Brasil), com presença garantida em presépios de Natal, eles são estuprados por focas. Coincidência?

Se houvesse uma investigação séria, chegar-se-ia às renas do Norte, que sempre tiveram relações escusas com as focas do Sul e se ressentem da perda de espaço delas para os pinguins nos presépios brasileiros. Não é de hoje que as renas fazem passeatas pedindo impeachment dos pinguins (no que eu acho que elas estão cobertas de razão) e mandam os vitrinistas brasileiros pras Malvinas.

Mas o que não pode é essa violência! Onde essas focas pensam que estão? Na USP?

Le week-end

16/11/2014

Axé 80

14/11/2014

Na verdade, 3 músicas dessa lista são dos anos 90 (da Bamdamel, as três do disco Negra, de 1991), mas que ainda tinham aspectos do axé dos anos 80, notadamente o teor político (em Conversa Fiada, uma espécie de hino “vem pra rua” da época dos caras pintadas), em que o Olodum é o exemplo máximo até hoje (Revolta Olodum faz referência à Conjuração Baiana, Lampião, Antonio Conselheiro; que incrível uma música popular com esse tema, ne), mas com que até o festivo/machista Chiclete com Banana “flertou” em Fé Brasileira, de 1988, ano da nova constituição, que captura o zeitgeist, do orgulho de voltar a ser brasileiro.

Além do aspecto político, a Bandamel de 1991 celebra Salvador, o carnaval e o verão em Baianidade Nagô e Prefixo de Verão, um passo adiante ao axé “histórico”, sobre lendas e histórias de negros do sul a norte da África e a respectiva influência na Bahia (do Egito a Madagascar e além: Iraque, em Bagdá, também da Bamdamel), que dominou o começo do gênero, que eu vejo como um movimento de resgate, de orgulho da negritude pós-ditadura num novo tempo de liberdades.

Posso estar enganado, mas o axé do final dos anos 80 talvez seja o gênero e a época em que a música popular brasileira foi mais política e com referências históricas mais marcantes (mas não apenas isso) de toda a sua existência (e o curioso é que isso acontecia concomitante ao auge do Rock Br, com Legião, Capital Inicial, Barão Vermelho, Titãs, RPM, Paralamas, que eram também políticas nessa época, mas sob o ponto de vista da classe média, da relação com polícia e com os políticos etc).

Petição à Casa Branca

05/11/2014

Dezenas de milhares de portugueses enviam petição à Casa Branca para que o governo americano considere “burro” o personagem brasileiro nas piadas de português.

Leia a íntegra:

Devido aos “protestos” recentes, em que milhares de brasileiros acreditam que estão vivendo em uma “ditadura comunista”, querem uma “intervenção militar”, exigem o “impeachment” da presidenta recém-eleita e, pasme, Mr. President, usam camiseta da corrupta CBF para “protestar contra a corrupção”, nós, portugueses, exigimos que a partir de 2015 os brasileiros sejam considerados “burros” nas piadas em que até hoje os portugueses ocuparam esse papel.

De modo que as novas piadas sigam o seguinte formato:

– O termo “brasileiro” passa a ser usado nos enunciados, como: Quantos brasileiros são necessários para trocar uma lâmpada?

– No lugar de Manuel e Maria, entram Wesley e Jessica, como personagens principais.

– Quem conta a piada de brasileiro deve adotar o sotaque paulistããããno para garantir o riso.

100+
Portugal

November

03/11/2014

30 músicas para este mês de 30 dias.

James Blake at Pitchfork Music Festival

02/11/2014

October 30th 2014, Paris.