MÃO NA RODA

Evil Heat foi ouvido em primeira mão ao vivo. Primal Scream sentou a mão nesse disco. Ou acertou a mão. Mas não perdeu a mão. Mesmo na contra-mão. (isso tá ridículo) Contra a mão de ferro, por mãos limpas. Não abriu mão do barulho. Nem se contentou com o que estava mais à mão. E mandou ver a dez mãos. Para você pôr a mão na consciência. E pôr a mão na massa. Porque estamos com uma mão na frente e a outra atrás. Pior: de mãos atadas. Você está nas mãos deles. E nada é de mão beijada. Mas sem essa de estender a mão, de dar uma mãozinha. No máximo, dar mão à palmatória sem largar de mão. Mãos à obra. Primal Scream continua sem deixar ninguém na mão. Tampouco deixa de mãos abanando. Passe Evil Heat de mão em mão. Não importa se é de sengunda mão. Terá sempre estado em boas mãos. Ponho a mão no fogo. Kate Moss é performer de mão cheia. E Bobby Gillespie tem você nas mãos.

Ficou ridículo, forcei a mão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: